segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Reformando os Reformadores da Reforma...


Esses dias li um artigo de um jornal que dizia respeito ao julgamento de crimes políticos durante a ditadura na Argentina. Seria aplicado uma pena severa aos crimes contra a humanidade – assim foi denominada a acusação. Torturas, mentiras, mortes e mais mortes fazem parte do menu dos acusados, que, justamente pagariam pelo que fizeram. Mas, o que me chama a atenção, não é o cumprimento da lei e das penas, mas sim a vitória daqueles que sofreram calados tanto tempo. Anônimos que pagaram com suas vidas a liberdade de uma nação inteira. E o que tudo isso tem a ver com o título? Hum, e aí? Fala agora?

Bom... durante muito tempo, a igreja tem sofrido calada, mudinha, diante da ditadura pastoral e autoritária de nossos dias. Pessoas que usam o nome de Deus para oprimir e controlar o povo que deveria ser de Deus – pelo menos é o que deveria ser, eu acho – e, utilizando disso, um discurso de 'liberdade'. Mas minhas criticas não vão à igreja e nem aos ditadores de colarinho, mas àqueles que fazem os reformadores revirarem em seus túmulos espalhando heresia a acabando com o triunfo dos resistentes que permaneceram.

Seria muito fácil sair jogando pedras em todo mundo, mas isso já tem muitos que fazem por mim. Então, vou lhes apresentar “Maneiras de Resistir e Permanecer na Luta pelo Verdadeiro Evangelho', ou simplesmente “MRPLPVE” (mais fácil pra guardar né?). É necessário antes saber que isso não é um grupo político de esquerda contra a Igreja (se bem que a parte do esquerda seria boa), mas uma forma de mostrar como é possível andar na contra-mão dos assassinos da Graça de Deus. Vamos lá:

1 – é necessário relembrar atos heroicos, como as de um diácono chamado Estevão, que, quando estava com a carne sendo amaciada por pedregulhos, não culpou os agressores, antes, rogou para que não fosse imputado pecados a eles. Mas como disse que não farei críticas, não falarei daqueles que por qualquer erro do próximo se acham o Espírito Santo pra convencer do pecado, da justiça e do juízo. Prometo

2 – é necessário voltar a essência do cristianismo puro pregado por Paulo e a comissão partidária socialista dos cristão contemporâneos do livro de Atos. Ou seja, está na hora de lutar pelo direitos de todos, pela sobrevivência sem imparcialidade e indiferença, pelo trabalho mútuo aos interesses do crescimento e divulgação do Reino, pela disseminação da Graça de Deus como bem acessível a todos e garantido pela palavra da Verdade, pelo acesso livre de todos que escolherem viver debaixo da tutela do Espírito Santo e para todos que, por tudo exposto, desejarem, ainda assim, lutar pela garantia total destas instâncias.

3 – é necessário resistir, persistir e permanecer a todo custo. Fé é a essência dos desbravadores do Reino. Sem fé é impossível agradar a Deus. Quem com fé vence, sem fé será vencido.

4 – torna-se obrigatório o uso da armadura de Deus para resistir aos ataques do inimigo que tentará torná-lo cético e indiferente a tudo que foi exposto anteriormente; e o uso 'racional' do fruto do Espírito, dando grande enfase à paciência a ao domínio próprio (acredite, você vai precisar), sendo este necessário para buscar inspiração de algum lugar durante os ataques massivos de heresia que serão disparados.

5 – tudo será invalidado se não for alvejado de oração e súplicas por abertura de entendimento dos ouvintes. Consagração é o remédio da resistência.


A memória daqueles que lutaram por estes princípios deve ser preservada. Estamos perdendo contexto Cristão e virando um 'catado' de teorias absurdas e sem base bíblica. Nós, que nos dispomos a ser reformadores desta geração, devemos reformar e vacinar nossa mente contra as facilidades dos dias de hoje. Reformar os reformadores e colocar os pés no chão a respeito da situação vigente e, partir daí, buscar formas de reformar o sistema dentro do sistema, ou seja, de dentro do caos se levantar mostrando os erros sem acusar, mas usando o código de conduta que a bíblia nos dá, e juntamente com o corpo de Cristo, que aparenta estar doente, mostrar a cura contra a decadência intelectual, cultural e teológica, e, só assim reformá-lo. Não é destruí-lo e construir novamente, mas sim acordar o que parece estar dormindo (se bem que alguns aparentam estarem mortos mesmo).

Tudo se torna possível se, aqueles que acreditam em milagres, lutarem juntos, coesos, numa mesma visão, porque os anticorpos não combatem as doenças cada um por si. Não vamos deixar que a ditadura das igrejas apaguem a memória dos que resistem e sofrem por resistirem. Vamos reformar nossas mentes reformadoras para a grande reforma.

Cristãos de todo o mundo, uni-vos! (adaptado e modificado de: MARX, Karl.“O Manisfesto Comunista”)



Rafael B Santos (21/01/2011)

Cristão, Estudante de Ciências Sociais

e na espectativa de uma nova geração

Um comentário:

kelly disse...

AMIGOOOOOOO, PARABÉNSSSSSS! Ficou óTIMO seu texto. Otima linha da raciocinio =) AMEI